Breaking news
Supreme Electoral Court (TSE) President Gilmar Mendes speaks during the session examining whether the 2014 reelection of president Dilma Rousseff and her then vice president Michel Temer should be invalidated because of corrupt campaign funding, in Brasilia, on June 9, 2017. The lead judge looking into corruption during Brazil's 2014 presidential election voted Friday to strip President Michel Temer of his mandate, but the overall result remained unclear, with six judges yet to weigh in. / AFP PHOTO / EVARISTO SA

Em entrevista ao jornal Expresso, de Portugal, ministro do Supremo Tribunal Federal alertou sobre a ‘procura do “novo”‘ nas eleições de 2018

Fausto Macedo
BLOGS
Fausto Macedo

‘É como se o diabo tivesse nos preparado um coquetel’, diz Gilmar

Em entrevista ao jornal Expresso, de Portugal, ministro do Supremo Tribunal Federal alertou sobre a ‘procura do “novo”‘ nas eleições de 2018

Da Redação

09 Abril 2018 | 15h40

Gilmar Mendes. Foto: AFP PHOTO / EVARISTO SA

O ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes afirmou, em entrevista ao jornal Expresso, de Portugal – publicada em sua edição de sábado, 7 -, que o quadro político brasileiro vive um momento ‘preocupante’. Ele diz entender ser preciso ‘preservar a política, porque é o único espaço para viabilizar o funcionamento da democracia’.

+ ‘Ordem de prisão de Lula é ato de despotismo judicial’, diz Gilmar Mendes

Um dos votos a favor do ex-presidente Lula no julgamento do habeas corpus preventivo que derrubou o salvo-conduto do petista e abriu caminho para evitar a prisão na Lava Jato, o ministro defendeu que prisões sejam apenas executadas após decisão terceira instância.

+ Lula diz que pedido a Marco Aurélio motivou decisão de Moro

“O ambiente está muito contaminado – procuradores, juízes, abaixo-assinados – e não podemos esquecer que isto também é uma luta de poder para procuradores e juízes de primeira instância. A minha posição é que devemos exigir a ida até pelo menos ao STJ”, disse.

+ Após 6 meses, Raquel Dodge devolve impedimento de Gilmar Mendes em casos da Ponto Final

O ministro ainda ressaltou que a Operação Lava Jato, ‘que atingiu toda a classe política, vai ter repercussão no processo eleitoral de outubro’. “Na campanha pontificam de um lado Lula e do outro Bolsonaro, figura que levanta receios do ponto de vista democrático e do Estado de direito. A decisão do STF define a questão da candidatura Lula e terá efeito nas alianças que vão resultar”, afirmou.

“A crise gerou na população um sentimento de descrença, de procura do “Novo”, que ninguém sabe o que é depois deste abalo sísmico. Isto num quadro eleitoral, é como se o diabo nos tivesse preparado um cocktail”.