Breaking news

A vida sempre dá outra chance

A vida sempre dá outra chance
POR Nilo alves
Dissemos aqui, no início da campanha eleitoral, que o projeto de Amastha não dar certo. A eleição comprovou o acerto da nossas avaliação.
Naquela ocasião, fizemos uma crítica ao advogado Célio Moura pela precipitação com que se lançou num projeto inconsequente. Nossa intenção não era desmerecer Célio, mas chamar a atenção dele para a bobagem que ia fazer, e fez. Célio é um dos políticos mais importantes do Tocantins. Homem combativo, sério, firme em seus princípios.
Ele já deveria ter sido eleito deputado há muito tempo. Ele deve isso aos tocantinenses. Um homem público não se pertence. Com um mandato, Célio poderá melhor servir o povo deste estado. E pode depois chegar ao governo do Estado ou ao Senado. Antes, porém, tem que subir a escada a partir do primeiro degrau.
Com o resultado da eleição de ontem, as coisas ficam mais claras. A vida dá nova chance a Célio Moura. Que ele saiba aproveitá-la.
A vida também dá outra chance a Kátia Abreu. Ela acabará, cedo ou tarde, se elegendo governadora do Tocantins. Mas precisa dominar seu génio. Quando se busca alianças, deve respeitar o aliado. É feio vetar nomes indicados pelos aliados, como ela fez com Célio Moura. Kátia já mostrou que é valente, que é guerreira. Agora precisa mostrar que sabe fazer diplomacia.
A vida também dará nova chance a Mário Lúcio e ao Psol. O moço tem valor, mas está chegando agora, e tem muito que aprender. Deve disputar um mandato parlamentar. O Tocantins precisa do seu alento e da sua coragem no corpo da representação popular.
Vicentinho ainda está no jogo. Pode virá-lo se souber buscar as alianças certas, e se adotar uma postura menos soberba.
Quanto a Carlesse, é bobagem dizer que ele ganhou graças ao poder da máquina Administrativa. O tempo foi curto demais para que as engrenagens do aparato estatal pudesse se colocado a serviço de uma candidatura. ele mostrou que tem talento e capacidade. Agora, tem a chance de repetir o êxito, desde que não fique deslumbrado e não deixe o sucesso subir-lhe à cabeça.