Breaking news

8º GOIÂNIA CANTO DE OURO APRESENTA: Bel Maia, Melina Helena, Regina Jardim e grupo Fé Menina, quinta e sexta ás 21h.

 

 

 

POR Nilo Alves

Ah, a música! Ela nos faz sonhar, não é mesmo?

O 8º Canto de ouro abre as portas pra mais um elenco da pesada, Bel Maia, Melina Helena, Regina Jardim e grupo Fé Menina, quinta e sexta ás 21h. Segundo comentários, já passaram por lá mais de 10 mil pessoas que gostam e curtem a música autoral e clássicos da MPB. E tem mais, no Brasil não tem projeto igual!

A MÚSICA AUTORAL

Há anos penso a respeito do fim da música autoral. Não quero dizer que ninguém mais irá compor, não é isso. Pra isso, temos a Bel Maia que compõe 90% das canções que canta e que faz sucesso também na índia  com a sua música inventiva e leve como o mantra os deuses do bem…

Mas acredito que a música autoral pode não  mais fazer sentido, se os criadores dela não tomarem os devidos cuidados… Pode a cada vez mais perder o impacto, se não houver uma grande união da classe musical. Hoje tem muito mais artistas que há 10, 20, 30, 40, 50 anos.

Bandas de rock, grupos de MPB, artistas solos, cantoras, música instrumental, jazz, chorinho, pop, sertanejo, toneladas de tudo. O resultado disso é também toneladas de músicas e letras parecidas.

 

E pra clarear os horizontes, o Carlos Brandão, Cleber Adorno e Luis Chaffin, e muita vontade política do Poder Legislativo, inventaram o Projeto Canto de Ouro que faz o maior sucesso no coração o Brasil em Goiânia.

Esse Canto de ouro é recheado de grandes nomes da MPB e instrumentistas de nível, assim  como o Bororó, Ricardo Ricardo Leão, e Emídio Queiroz, que dispensam comentários, dentre outros tantos…

Dizem que o Brasil está em crise musical… É só prestar atenção no que ouvimos hoje nas rádios e trilhas das novelas. Sei lá de quem é a culpa disso, mas a qualidade das composições brasileiras, seja qual for o gênero, está cada vez pior e caindo vertiginosamente nesses últimos dez anos, incluindo aí compositores consagrados.

Minha teoria,  é que todas as notas já foram tocadas, todos os acordes já foram inventados e todas as combinações possíveis entre eles também. Pode perceber que é cada vez mais raro surgir algo bom e diferente, assim como não poderá surgirá mais nenhum bom letrista.

Em Goiânia temos grandes letristas, como Valter Mustafé, Nars Chaul, Renato Castelo, Bel Maia, Carlos  Ribeiro, Otávio Daher, Osimar, Adalto Bento Leal, Lucas Faria, Osimar Holanda que se encontra na pacata cidade de Itapaci-GO,  e mais umas duas dúzias deles que sapateiam o pó da estrada de um chão qualquer.

Mas no mercado fonográfico, a exploração de direitos autorais é uma coisa muito, mas muito boa! “Explorar um direito autoral musical” significa que o titular de uma composição (letra e ou música) está utilizando essa obra musical para gerar receita de algumas formas. Elas são: Direito fonomecânico. Com certeza o projeto canto de ouro está gerando receita com mais de 150 músicos em palco mostrando os seus trabalhos nos fins de semana. Hê Goiás!