Breaking news

  CULTURA E ARTES PEDEM SOCORRO NO TOCANTINS

 

 

 

              Cultura e artes pedem socorro no Tocantins

 

Nilo Alves,

é jornalista, músico

e Acadêmico em Direito

na UNIP/TO

Temos no Tocantins duas grandes instituições de cultura engavetadas: A Fundação Cultural e a Secretaria da cultura.  Isto não tem cabimento! Um povo sem cultura não vive, vegeta! Já passou da hora de salvar a nossa cultura que naufragou-se em uma grande embarcação onde habitam desterrados e marginalizados de todo tipo, há uma tripulação que não se lembra quem é ou porque está ali e, diante disso, qualquer comandante pode assumir o controle, ainda que não saiba como ou para onde ir. Porém, na iminência de um naufrágio que traz à tona todas as coisas escondidas e esquecidas nos porões da embarcação, é preciso que todos saibam o que fazer diante da catástrofe cultural que se passa o Tocantins. E são por essas e outras que estou aqui pedindo socorro para a cultura tocantinense!

GRANDES PROJETOS QUE FORAM REALIZADOS

            Projetos que visaram à capacitação, o fomento e à circulação marcam o ano de 2007 e iniciaram uma nova fase da cultura no Tocantins. Com base nestes três pilares, a Fundação Cultural realizou durante alguns anos ações para fomentar as diversas áreas culturais do Tocantins. O resultado pode ser verificado nos projetos de capacitação, seminários e ações que aconteceram em diversas regiões do Estado e que agregou valores para a população.

Em  2007, tivemos  a maior inclusão da população nas ações estratégicas da entidade. ‘Buscou trabalhar com o envolvimento da população em todos os segmentos culturais do Estado e com isto atingiu e beneficiou um maior número de pessoas.E para 2008, a ideia foi levar projetos como o BR Arte, música e Cultura para os 139 municípios do Tocantins.

A exposição de obras de arte do Irã, por exemplo, que aconteceu pela primeira vez em Palmas, ofereceu a oportunidade de mostrar a rica cultura iraniana para mais de duas mil pessoas – resultado da parceria cultural entre a Embaixada e governo do Estado. Outra parceria de sucesso foi com a Embaixada da Índia, que resultou no Festival de Filmes Indianos, reunindo mais de três mil pessoas. Foram exibidos cinco longas metragens indianos e firmadas outras parcerias para 2008.

Na Galeria Mauro Cunha, na FCT, realizou cerca de 12 exposições de arte, além do incentivo a exposições em locais públicos e galerias de arte em Palmas e em outros municípios do Estado. Em abril, os artistas tocantinenses tiveram destaque especial durante a comemoração do aniversário de 47 anos da capital federal, Brasília, na Esplanada dos Ministérios. A FCT levou um grupo de músicos para apresentar o show ‘Cantos do Tocantins’.

O projeto BR-Arte e Cultura também foi um dos grandes projetos de circulação da arte tocantinense, promovendo a integração da comunidade local com apresentações musicais, cênicas, realização de oficinas e exibição de filmes e documentários. E no mesmo ano, receberam o projeto os municípios de Colinas, Peixe, São Valério da Natividade, Paranã e São Salvador.

Na área de patrimônio cultural, foram realizadas restaurações de bens materiais e imateriais, trabalhos de educação patrimonial e inventários que estão contribuindo para a preservação e fomento da história e cultura do Estado. E no mesmo ano o governo do Estado entregou à comunidade de Natividade grandes obras restauradas e revitalizadas, dentro do Programa Monumenta – uma parceria com o governo federal, prefeitura de Natividade e IPHAN, que gerou benefícios para a população local e classificou o Tocantins como o Estado modelo neste tipo de projeto.

Artesanato

O artesanato do Estado ganhou o mundo com sua riqueza, formas e cores. Produtos tocantinenses foram expostos e comercializados em importantes eventos nacionais e internacionais – o que gera benefícios diretos para os artesãos. Todas as mercadorias comercializadas os recursos eram repassados integralmente para o artesão.

O projeto ‘Jardim da Poesia’ desenvolvido pela área da literatura busca ser uma vitrine da produção poética do Tocantins e consiste na exposição de textos no Museu Histórico do Tocantins – Palacinho, em Palmas.

Conselho

Para fechar o ano de 2007 a Fundação Cultural realizou o maior processo eleitoral de todos os tempos. As eleições do Conselho Estadual de Cultura que elegeu os membros e suplentes dos respectivos segmentos: artes plásticas, artes cênicas, música, audiovisual, literatura, artesanato, comunidade dos povos indígenas, comunidades negras e quilombolas, culturas populares e patrimônio cultural material e imaterial. Em todo o Estado, 82 candidatos disputaram uma vaga no Conselho.

O Conselho Estadual de Cultura era o órgão de deliberação coletiva incumbido de apoiar a formulação da política estadual de promoção, defesa, orientação, difusão e proteção da cultura do Tocantins. Este processo democrático abrangeu todos os municípios do Estado em um grande processo democrático.

 

Foram ações que  democratizaram o acesso às diversas áreas da cultura no Tocantins e que  estabelecia um novo marco histórico  que é o maior patrimônio de todos os tocantinenses e a identidade   cultural de seu povo que está se deteriorando e fadado a se acabar por falta de vontade política e respeito à cultura das nossas crianças, adolescentes e adultos que compõem o corpo sóciocultural de nossa gente.

Até parece que a cultura é um monstruoso buraco negro recém-descoberto  que engole um sol a cada dois dias… Glub!