Breaking news

PreviPalmas fala em “trabalho alinhado” à CPI e em recuperar aplicações temerárias

PreviPalmas fala em “trabalho alinhado” à CPI e em recuperar aplicações temerárias

Júnior Geo quer trabalhar para recuperar dinheiro e verificar outros investimentos temerosos

5 (100%) 2 votos

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Instituto de Previdência de Palmas (Previpalmas) realizou a primeira reunião com membros da entidade na tarde de terça-feira, 28, na Câmara. O presidente do PreviPalmas, Carlos Spegiorin, afirmou querer trabalhar “alinhado” com o que for discutido pelos vereadores. Um dos objetivos será a recuperação das aplicações temerárias.

Presidente do Conselho Municipal de Previdência, Eron Bringel relembrou na reunião dos investimentos em fundos de risco: R$ 30 milhões para o Cais de Mauá, R$ 20 milhões para a empresa Tercon. Mais uma aplicação entrou para o rol das questionadas. Segundo o conselheiro, R$ 8 milhões injetados na Caixa Econômica Federal sem ao menos um processo físico, por telefone.

PUBLICIDADE
Júnior Geo: “Precisamos buscar a recuperação dos R$ 58 milhões que inicialmente já temos conhecimento” (Foto: Divulgação)

“Nós queremos de fato o dinheiro de volta. É isso que vai sanar o nosso problema”, afirmou Eron Bringel. A expectativa de recuperar os valores também foi defendida pelo presidente da CPI do PreviPalmas, vereador Júnior Geo. “Precisamos buscar a recuperação dos R$ 58 milhões que inicialmente já temos conhecimento e mais do que isso, verificar se existem outros montantes de investimentos duvidosos”, disse.

O atual presidente do PreviPalmas, Carlos Spegiorin, colocado no cargo após os problemas causados e repercutidos, demonstrou estar disposto a buscar soluções. “Nossa posição é de trabalhar alinhado com a CPI. Eu parabenizo a Câmara, esta gestão do instituto quer contribuir e estamos em andamento com trabalhos administrativos para buscar solucionar esse problema”, ressaltou.

Autor do pedido de CPI, Júnior Geo realizou pedidos técnicos de documentos para investigação, que segundo alegou, já foram solicitados em outros momentos, mas não disponibilizados pelo instituto. Por fim, cobrou o prazo de 90 dias, prorrogável por igual período, para que as investigações sejam concluídas.

A CPI do PreviPalmas é presidida por Júnior Geo e formada por Vandim do Povo (PSDC), como vice-presidente; Marilon Barbosa (PSB), relator; e tem como membros os vereadores Léo Barbosa (SD) e Gerson Alves (PSL). (Com informações da Ascom)