Breaking news

“HOjE ESTOU TRISTE. PERDI UMA AMIGA E CONSELHEIRA, DONA RAIMUNDA QUEBRADEIRA DE COCO E DE PRECONCEITOS”. DEPUTADO FEDERAL CÉLIO MOURA

Por G1 Tocantins

 


Raimunda Quebradeira morreu aos 78 anos — Foto: Elizeu Oliveira/Governo do Tocantins/DivulgaçãoRaimunda Quebradeira morreu aos 78 anos — Foto: Elizeu Oliveira/Governo do Tocantins/Divulgação

Dona Raimunda foi uma das apoiadoras das

últimas eleições ddeputado federal Célio Moura (PT)

A líder comunitária Raimunda Gomes da Silva morreu na noite desta quarta-feira (7) aos 78 anos. Ela lutava contra diabetes e já tinha perdido a visão por causa da doença. Raimunda Quebradeira, como era conhecida, faleceu na própria casa no povoado Sete Barracas, a cerca de oito quilômetros do município de São Miguel do Tocantins, norte do estado.

A prefeitura da cidade decretou luto oficial de três dias e ponto facultativo nesta quinta-feira (7). O corpo de Raimunda Quebradeira deve ser levado para o Imperatriz (MA) e depois retorna para o povoado, onde será velado e enterrado.

Segundo o secretário de cultura de São Miguel, Orlando Martins, a ex-quebradeira de coco chegou a ficar internada na UTI de um hospital em Imperatriz. Ela recebeu alta há algumas semanas e pediu para retornar para casa.

A líder comunitária ficou conhecida por lutar pela valorização das quebradeiras de coco no norte do Tocantins desde os anos 80. Ela foi uma das fundadoras do Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu (MIQCB), que atua nos estados do Pará, Tocantins, Maranhão e Piauí.

A ex-quebradeira de coco rompeu as fronteiras do Brasil. Foi à China, aos Estados Unidos, à França e ao Canadá. Ela também chegou a ser indicada ao Prêmio Nobel da Paz e recebeu homenagens do da Assembleia Legislativa do Tocantins e do Senado Federal. Em 2009, recebeu o título de doutora Honoris Causa pela Universidade Federal do Tocantins (UFT).

O governador Mauro Carlesse (PHS) enviou nota lamentando a morte da líder comunitária. “O Estado do Tocantins perde uma de suas maiores líderes. Dona Raimunda construiu uma extensa folha de serviços ao nosso Estado e ao Brasil, por desenvolver um importante serviço comunitário e também como trabalhadora rural e ativista de destaque nacional, que por sua atuação recebeu, entre outros, o prêmio Bertha Luz, concedido pelo Senado Federal”, diz trecho da nota.