Breaking news

LIVROS & CIA – Obra traz dados inéditos da violência em Palmas; Gurupi faz seleção para Anuário de Escritores

LIVROS & CIA – Obra traz dados inéditos da violência em Palmas; Gurupi faz seleção para Anuário de Escritores

5 (100%) 10 votos

 

(Foto: Divulgação)

Epidemiologia Médico Legal de Palmas

O graduando de medicina da Universidade Federal do Tocantins (UFT) Evandro Leite Bitencourt lançou no dia 23 de agosto o livro Epidemiologia Médico Legal de Palmas, que tem como coautores o médico legista Paulo Reis e a servidora do Instituto Médico Legal (IML) Helisiane Fernandes Moreira Figueiredo. A obra foi viabilizada graças a um acordo de cooperação entre a Secretaria Estadual da Segurança Pública (SSP) e a UFT para atender demandas dos cursos da área de saúde, como Medicina, Enfermagem, Nutrição e Psicologia.

Dados inéditos

O livro traz dados inéditos sobre suicídios, homicídios, acidentes de trânsito e violência contra a criança e a mulher. Segundo a diretora do IML, Georgiana Ferreira Ramos, a cooperação entre SSP e UFT foi o ponto de partida da aproximação do ambiente acadêmico com o órgão, oportunizando a oferta de estágios e o desenvolvimento de trabalhos de pesquisas, como esse livro.

Dados de acordo com a incidência por quadras

O autor Evandro Leite Bitencourt destacou que, além de inéditos, os dados do perfil epidemiológico foram traçados de acordo com a incidência por quadras da Capital. O livro ainda traz importantes conteúdos teóricos na prática médico legal, na antropologia forense, toxicologia forense, transtornos sexuais, sexologia criminal e aborto. A obra está sendo comercializada por meio do site da editora CRV, www.editoracrv.com.br, no formato de 16×23 cm, com 552 páginas.

(Foto: Zacarias Martins)

Anuário de Poetas e Escritores do Tocantins

O Anuário de Poetas e Escritores do Tocantins-2019, organizado pelo escritor e editor gurupiense Eliosmar Veloso, está com inscrições abertas até o dia 13. O certame é aberto a todos escritores residentes no Tocantins e tem por objetivo dar  mais visibilidade à produção literária tocantinense. A novidade deste ano é que a publicação irá contar, pela primeira vez, com o apoio da Secretaria municipal de Cultura de Gurupi e da Câmara de Vereadores.

Como se inscrever

As inscrições podem ser feitas na Secretaria Municipal de Cultura de Gurupi,  localizada no Centro de Convenções Mauro Cunha,  ou pelo e-mail editoraveloso@editoaveloso.com.br, onde será fornecido o regulamento completo. Mais informações pelo WhatsApp (63) 98487-1558. A inscrição para o Anuário é gratuita.

Educação Inclusiva em Tocantinópolis

A professora e escritora Consola Brito lançou no dia 28 de agosto Educação Inclusiva em Tocantinópolis: desafios, conquistas e realizações (Editora Veloso).

A obra de Consola Brito apresenta informações teóricas e práticas a respeito do processo de inclusão em Tocantinópolis e região, de forma que se tenha um formato desse fato desde a visão integracionista,  onde  segundo a autora, a escola não estava preocupada em se adaptar para receber o aluno, mas o aluno sim é quem tinha a preocupação de preparar-se para ser integrado na escola até o paradigma da inclusão.  Para Consola,  trata-se de um processo que contraria a visão integracionista, ou seja, a escola deve se preparar para receber o aluno e uma vez que o aluno chega à escola, esta tem o dever legal de fazer as adaptações necessárias para atender as especificidades do aluno. 

 

 

Sob controle

Nascida em Goiânia (GO), mas tocantinense de coração, apaixonada desde criança pelos livros, e aventuras, Gabriela Maia lançou nessa quinta-feira, 5, o segundo livro da série “Controle”, que leva o nome de “Sob Controle”. O romance ficcional dá continuidade à história de Sarah, personagem principal da série “Controle” e que teve sua saga iniciada no livro “Fora de Controle”, de 2013.

Família problemática

Nesta segunda parte da saga, Sarah Gatae vive momentos difíceis na descoberta sobre seu passado. Agora, ao lado de sua família problemática, ela deve aprender a ter o controle de seus poderes, além de lidar com ainda mais mistérios sobre sua família, novos conflitos e o seu verdadeiro inimigo.

Ampliação do Programa Nacional do Livro Didático

A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 2.422/15, de autoria da deputada federal Dorinha Seabra Rezende (DEM), que propõe a ampliação do Programa Nacional do Livro Didático para incluir o Programa Nacional do Livro Técnico e Profissionalizante (PNLTP). O objetivo é subsidiar, também, os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, Centros Federais de Educação Tecnológica e Escolas Técnicas vinculadas às Universidades Federais com material didático adequado.

Em defesa de Paulo Freire

O educador Paulo Freire (1921-1997) foi escolhido como o homenageado da edição de 2019 da Balada Literária, evento que começou em São Paulo na quarta-feira, 4, e segue até domingo, 8. O festival chega à sua 14ª edição e ocupa espaços como a Livraria da Vila, o Sesc, Biblioteca Mário de Andrade e Casa de Francisca, na capital paulista. “Como a artilharia estava pesada para cima de Paulo Freire, resolvi que seria ele. Eu queria que a Balada Literária 2019 fosse de afirmação do legado, da importância, do respeito à obra de Paulo Freire”, explica o idealizador e curador do festival, Marcelino Freire. Duas pessoas próximas de Paulo Freire, Nita Freire, sua viúva e autora de Nós Dois (Paz & Terra), e a filha Madalena Freire participam da programação ao lado de, entre outros, Sérgio Haddad, que está lançando O Educador: Um Perfil de Paulo Freire (Todavia).

Freire não responderia

Nita falou ao jornal O Estado de S.Paulo sobre os ataques que vêm sendo feitos às ideias de Paulo Freire, e ao próprio educador, e comentou como ela acha que ele receberia isso tudo hoje, se estivesse vivo. “Ele não responderia a nenhum insulto. Continuaria trabalhando com muita fé e esperança na sociedade brasileira e lutaria acreditando que seria possível fazer um país melhor, democrático e justo”, afirmou. A viúva contou que as vendas das obras do marido só aumentam. 

(Foto: Renato Parada/Divulgação)

É coisa fina

A escritora Tati Bernardi passou a assinar uma nova seção na Ilustrada, do jornal Folha de S.Paulo, com o nome É Coisa Fina. Ela aborda, todas as semanas, resenhas e dicas de livros. O objetivo é incentivar a leitura. “O livro precisa ser desmistificado como algo difícil e longo, que não cabe nos nossos dias”, diz ela. A escritora quer falar de lançamentos, revisitar clássicos e fazer listas temáticas. “Os melhores livros sobre medo, por exemplo.” Há, contudo, um ponto em comum entre as obras. Todos os livros terão até 200 páginas —daí o nome da seção. “Mas se passar um pouquinho não tem problema”, avisa Tati.

Mais de 300 autores na Bienal Rio

A 19ª Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro, a Bienal Rio, aberta no dia 30, no Riocentro, na Barra da Tijuca, segue até este domingo, 8. Mais de 300 autores nacionais e estrangeiros participam da edição deste ano, que terá em torno de 5,5 milhões de livros à venda pelas diferentes editoras e é considerado o maior festival literário do país. Todas as sessões da programação oficial têm tradução simultânea em libras e o pavilhão infantil terá visitas guiadas para deficientes visuais.

(Foto: Vilma Slomp/Divulgação)

Laurentino aborda o horror da escravidão

Depois de 18081822 e 1889, o premiado escritor e jornalista Laurentino Gomes iniciou outra série para tratar de um período de horror da história do Brasil e do mundo, a escravidão.

O primeiro dos três livros, Escravidão: Do primeiro leilão de cativos em Portugal até a morte de Zumbi dos Palmares (Globo) já está disponível.

Nesse volume 1 da série, o jornalista cobre os 250 anos entre o início das incursões e capturas de escravos pelos portugueses na África, com o primeiro leilão de cativos em 1444 em Algarve (Portugal), até o fim do século 17, com a morte de Zumbi dos Palmares em 1695. 

336x280ad