Geral

LIVE – Lei Aldir Blanc debate no Tocantins com o deputado federal Célio Moura e artistas nesta terça, 15, ás 19h

0

Nilo Alves
Plantão Tocantins

 

“Desde o final do século XX, uma nova geração de artistas vem desenvolvendo todos os tipos de práticas ao vivo a partir das metodologias explosivas da Arte Performática, mas configuradas pelas realidades do agora. Foi trabalhando com meios, contextos e espaços, que  esses artistas inauguraram, de um jeito impactante, excitante e urgente, novos modelos de criação, novas linguagens para a representação de idéias e identidades, novas formas de mobilizar platéias e novas estratégias de intervenção na esfera do público. E são por essas e outras que o deputado federal CélioMoura realizará a segunda Live com grandes nomes da cultura e da música brasileira que fazem história há mais de duas décadas, e que lançaram mão da performance como uma força geradora para destruir falsas aparências, romper tradições de representação e trazer novas e diferentes formas de engajamento com o significado da luta do povo no Tocantins e resto do país com representatividade nesta terça-feira,15, dos artistas Nilson Rodrigues, Bel Maia, Everton dos Andes, Márcio Bello, Dênio Braga, Ronaldo Coelho Teixeira, Cícero Belém,  e o repista Jarbas Moura”

 

” Cultura engloba não apenas as manifestações artísticas ou intelectuais e o patrimônio, mas o esporte, o lazer, o bem-estar, a cidadania, o imaginário, a fantasia, a auto estima, o crescimento e melhoria, a memória, a tradição e o futuro. Nos discursos atuais com relação à Cultura, observo a tendência a abordar a sua importância a partir de três níveis: no primeiro deles, a Cultura é entendida como ferramenta de desenvolvimento econômico. Uma outra perspectiva é a que encara a Cultura como alavanca para a transformação social. Uma terceira, menos usual e bastante instigante, é aquela que defende o valor da Cultura em si mesma”

Deputado federal Célio Moura

 

Nilson Rodrigues

 

Nilson Rodrigues da Fonseca (Abadia dos Dourados2 de janeiro de 1965) é um empresário e produtor cultural nas áreas de cinemateatro e televisão.[1][2]

Carreira

Iniciou suas atividades na área da cultura na década de 1980 no Distrito Federal, trabalhando com teatro e cineclube. Foi coordenador e diretor de diversas mostras e festivais, entre eles a I Mostra do Cinema Brasileiro de Taguatinga/DF (1985) e o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (1995, 1997 e 1998). Idealizou e coordenou o Festival de Inverno de Bonito/MS (2002 a 2005) e o Festcine Pantanal – Festival de Cinema de Campo Grande/MS (2001 a 2005).

Produziu os documentários Bernardo Sayão e o caminho das onças (1997), de Sérgio Sanz e Por um mundo sem fome (2004), de Tânia Quaresma. Foi também produtor associado do filme Tainá – A Origem (2013), de Rosane Svartman.

É o produtor das séries de TV Brasil Clássico Caipira (2010), Impressões do Brasil (2011) e Impressões do Mundo (2016) e do longa-metragem de ficção O Outro Lado do Paraíso (2014), ganhador do prêmio de melhor filme pelo júri popular no Festival de Gramado de 2015. [3]

Foi diretor da Agência Nacional do Cinema (Ancine), entre 2005 e 2009.

Em 2002, iniciou sua atividade como exibidor e fundou o Cine Cultura de Campo Grande (MS). Em 2012, fundou em Brasília o Cine Cultura Liberty Mall, onde atualmente é sócio diretor.

É diretor da Bienal Brasil do Livro e da Leitura [4] e do BIFF – Brasília International Film Festival [5], se destacando como um dos principais nomes da área cultural na capital do Brasil.

 

 

Éverton dos Andes

Compositor, historiador e professor, Everton dos Andes estuda e pesquisa a história e cultura afro-brasileira e cultura popular no Tocantins. Autor do projeto Suciologia, que consiste no mapeamento das festas tradicionais tocantinenses, o artista participou do Projeto Pixinguinha, cantando ao lado de Miúcha e do Quarteto Maogani. Além disso, venceu diversos festivais, conquistando vários prêmios e editais culturais.

 

                   Bel Maia 

É uma artista que vive descobrindo e conquistando os espaços onde possa criar e se expressar. Funde ritmos e estilos para comportarem o que ela quer dizer. Possui 4 CDs autorais e independentes em seu curriculum (“Rumo Certo”, “Novo Dia”, “Água no Balde”, que teve apresentação de Gilberto Gil e participação especial de Junior Marvin , e “Canções que minha avó cantava”). Seus trabalhos fonográficos estão sendo vendidos no Japão, Alemanha e nos Estados Unidos e sua música “Na Rede” (CD Novo Dia) foi lançada em New York em uma compilação de bossa nova (I Love Bossa). Fez cursos de especialização em Yoga na Índia.

Para mais informações aacesse: http://belmaia.tnb.art.br

 

  Denio Braga

A Banda Pedra de Fogo é genuinamente tocantinense e foi criada em 1980 na cidade de Araguaína. Ela foi formada pelos sanfoneiros Manoel Cerqueira e a saudosa Dalva Braga. Hoje, o músico Dênio Braga divide o seu tempomentre as pontes Tocantins, Rio de Janeiro e Goiânia, e  divide o palco com  os irmãos  Paulinho Braga,   Marcelo Braga, e o seu pai quandolhe sobra tempo.

  Cícero Belém

 

Cícero Belém, nascido em Porto Nacional, é também ator, diretor teatral, produtor cultural e professor efetivo da Secretaria Municipal da Educação e há 16 anos dedica-se a institucionalização da gestão cultural do Município de Palmas, atuando ativamente no Conselho Municipal de Políticas Culturais e na FCP

 

  Márcio Bello

O músico percussionista tocantinense e sul-matogrossense Márcio Bello, criador e coordenador do projeto faz um passeio pelas tradições e pela cultura tocantinense, além de sempre homenagear  os povos indígenas nas suas apresentações com  canções regionais e a música Manakeriki de Adalto Bento Leal e Wanda de Almeida, rebuscando  às raízes africanas e principalmente do norte do Tocantins, trabalha há mais de três décadas pelo resgate da cultura popular.

      Ronaldo Teixeira

É cearense, radicado em Tocantins. Poeta, escritor e jornalista, autor dos livros de poesias “Mercador” (1998) e “Para que o Fantástico não se Ausente” (2012), obras vencedoras da Bolsa Maximiano da Matta Teixeira, do Governo do Tocantins, e “Surtos & Sustos” (2007), livro que reúne crônicas veiculadas no sítio www.agenciacartamaior.com.br entre 2004 e 2006 com prefácio de Moacyr Scliar (1937-2011) e que constou no Vestibular 2008/1 da Universidade UnirG. Teve o conto de sua autoria “A Hora Mórbida” publicado na revista Conhecimento Prático de Literatura, da Editora Escala em 2010 e, por 15 vezes, teve poemas de sua autoria publicados no Livro da Tribo, de São Paulo, entre 2001 e 2019. Lançou, no ano passado, em Palmas e em Gurupi, o livro “Transwebhumanas – Vinhetas, Meatatrados & Baladinhas Poéticas”, pela Editora Kazuá (SP).

Jarbas Carvalho de Moura

Envolvido com a Cultura Hip Hop desde 1992, Jarbas Moura é Rapper e Compositor, desempenhando a função de vocalista no grupo de Rap  Contra Proposta. Sendo este o pioneiro no gênero dentro do Estado do Tocantins.

Formação acadêmica:

Licenciatura Plena em Geografia – UntinsPós Graduado em Cultura Africana e História do Negro no Brasil – UFT.

Comments

Comments are closed.

Login/Sign up