Breaking news
avicultura-do-estado-do-tocantins

Exportadores de carnes de aves do Tocantins receberam 47% a mais por quilo em 2017, aponta análise feita no ‘Alice Web’

Exportadores de carnes de aves do Tocantins receberam 47% a mais por quilo em 2017, aponta análise feita no ‘Alice Web’

Melhora do preço pago pelos importadores impulsionou as vendas dos produtores tocantinenses; mais de R$ 21,35 milhões ingressaram no Estado só neste ano com a venda de frango, perus e derivados ao exterior.

Imagem
DANIEL MACHADO
DE PALMAS

O preço do quilo pago pelos importadores aos produtores tocantinenses de carnes de aves (galos, galinhas, patos, gansos, perus, peruas e galinhas pintadas) e derivados subiu 47% em 2017 na comparação com o ano passado. Essa elevação do valor fez com que o volume de divisas que ingressou no Estado de janeiro a setembro de 2017 por meio dessa comercialização a outros países chegasse a US$ 6,78 milhões, ou seja, mais de R$ 21,35 milhões, num aumento de 17,53% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Os dados foram consultados pelo Norte Agropecuário no sistema Alice Web, maior portal com informações oficiais sobre transações comerciais do Mercosul. No Brasil, o sistema é administrado pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

O aumento de recursos ingressando no Estado não se refletiu em aumento de volumes. Pelo contrário, enquanto de janeiro a setembro de 2016 se havia vendido ao exterior 4,53 milhões de quilos dos produtos, neste ano a quantidade caiu para 3,61 milhões de quilos. A diferença, portanto, tem a ver com o melhor valor pago pelos estrangeiros.

Neste ano, o preço médio por quilo do produto ficou em R$ 5,90, enquanto em 2016 o valor era de R$ 4. A análise dos dados mostra que este tipo de atividade voltou a ser importante a partir de 2016. Antes, o maior volume exportado havia sido de 270 mil quilos.

OS PAÍSES

Quem mais comprou carne de aves e derivados do Estado foram os Emirados Árabes Unidos, com US$ 3,04 milhões em dinheiro e mais de 1,39 milhão de quilos em volume. Na segundo colação aparece Hong Kong, com US$ 1,28 milhão e, na terceira colocação, está Omã, com US$ 1,14 milhão.