Nova onda de Covid-19 faz Araguaína abrir mais 10 leitos de UTI no Hospital de Campanha; prefeito quer parcerias para instalar mais 40

Araguaína conta a partir desta segunda-feira, 22, com mais 10 leitos de unidades de terapia intensiva (UTI) no Hospital Municipal de Campanha (HMC) para pacientes contaminados pela Covid-19. Com isto, a unidade chega a 20 UTIs, 30 leitos clínicos, seis de estabilização, além de pronto-atendimento 24 horas para casos suspeitos e confirmados.

Araguaína está se antecipando

Prefeito de Araguaína, Wagner Rodrigues (SD) afirma que a extensão da rede hospitalar é uma forma de se preparar para um agravamento do cenário epidemiológico, conforme indícios apresentados em outros locais. “Estamos preocupados com o estado de calamidade que o Tocantins vem apresentando, considerando as últimas notícias e ainda o estado de colapso atingido na rede privada de Palmas, assim como o aumento dos casos e a evolução para extremos, como a bandeira preta no Rio Grande do Sul e o lockdown que vem ocorrendo em municípios de São Paulo, além de diversos outros exemplos no País. Por isso, estamos antecipando uma medida diante do agravamento com essas altas taxas de ocupação”, argumentou.

Araguaína quer abrir mais leitos

Wagner Rodrigues informa que o HMC tem estrutura para implantação de mais 40 leitos, que poderá ser utilizada, mediante convênio ou termo de parceria, pelo governo do Estado, outros municípios e hospitais privados de todo o Tocantins. O prefeito está em Brasília para solicitar apoio da bancada federal para ampliação da estrutura e a manutenção de atendimento para tratamento da Covid-19. Além disso, uma proposta ao Palácio Araguaia já foi feita para garantir o funcionamento total do Hospital de Campanha. “É muito importante que haja uma soma de esforços para enfrentar adequadamente essa terrível pandemia. Todas as esferas precisam contribuir e estou sempre em busca disso”, reforçou. (Com informações da Ascom/Araguaína)